Florescimento e os principais problemas ocasionados na cana-de-açúcar

março 18 2020

O Brasil é caracterizado por ser um dos maiores produtores de cana-de-açúcar do mundo, impulsionado pelo aumento da demanda por biocombustível, e por ser uma das culturas agrícolas mais eficientes em converter energia solar em biomassa e sacarose. Diante disso, busca-se cada vez mais aumentar a produtividade da cultura e consequentemente diminuir as variáveis que possam causar algum tipo de redução do rendimento final, como é o caso do florescimento.

O ciclo de vida da planta de cana-de-açúcar (Saccharumofficinarum) em canaviais comerciais não são iguais aos encontrados em ambientes naturais. Nos canaviais comerciais a ocorrência do florescimento é indesejável.

O florescimento, caracterizado pela emissão do pendão floral, é uma etapa natural do processo de desenvolvimento e perpetuação da espécie. Essa fase de desenvolvimento é ocasionada por uma série de fatores externos e internos.

            Fatores externos:

Fotoperíodo – Considerado um dos principais fatores que podem desencadear o florescimento, que acontece quando as plantas são submetidas a um fotoperíodo inferior ao crítico ( <12 horas/dia de radiação solar).

Temperatura – Temperaturas abaixo de 18 °C por mais de 10 dias consecutivos, durante a noite, e 28°C durante o dia favorecem o florescimento (Castro, 2001).

Umidade – Períodos de baixa precipitação reduzem a intensidade do pendoamento.

O principal fator interno acontece por meio da liberação do hormônio giberelina, responsável por induzir a floração na planta. Além da liberação de hormônios, a floração também é influenciada pelo genótipo utilizado na área de cultivo. Ao refletir sobre os fatores citados acima, nota-se que em toda área produtiva de cana-de-açúcar existe pelo menos um fator que pode fazer com que a planta inicie sua floração. A intensidade das perdas ocasionadas pelo florescimento varia em função da variedade e do clima (Araldi et al., 2010). Desta forma, serão relacionadosalguns problemas ocasionados por esta fase de desenvolvimento na cultura.

  1. Perda de peso dos colmos:

O primeiro problema gerado ao permitir o florescimento é a perda de peso dos colmos, pois o crescimento é interrompido assim que se inicia o florescimento. Isso é resultado de uma redução na produção de fotossintatos.

Segundo o consultor Antonio Carlos Gheller, as perdas podem chegar a 30%, já outros pesquisadores relatam perdas de 6 a 7 toneladas por hectare quando 35% da área apresenta-se em floração, resultados de uma série de modificações fisiológicas que acontecem nesse período.

  1. Isoporização:

            Em decorrência da diminuição da produtividade, associada aos fatores fisiológicos ocasionados pelo florescimento, ocorre a perda de sacarose do colmo. A sacarose, transforma em glicose e frutose e passa a ser enviada ao pendão, que causa o “chochamento” do colmo, em decorrência de sua desidratação. Esse fenômeno é conhecido como isoporização, que traz uma série de problemas para a indústria. A cana isoporizada tem maior possibilidade de contaminação microbiológica, maior quantidade de fibra e menor quantidade de água, o que prejudica seu processamento na indústria.

            Além disso, a qualidade da matéria prima também é afetada, pois os teores de Brix e Pol são reduzidos. A quantidade de açúcar por tonelada é muito importante aos produtores, já que diminui o valor agregado por tonelada ao ser realizada a venda, pela diminuição do ATR (açúcar total recuperado), que consequentemente diminui o rendimento industrial (Berding, 2005).

            Uma forma de evitar o florescimento é através da utilização de reguladores de crescimento. Esses produtos auxiliam na maturação da cana e podem beneficiar o sistema produtivo da cultura em três aspectos:

  1. a) Redução na perda de açúcar;
  2. b) Propiciar que cana termine seu ciclo sem passar pela floração;

c)Tornar a lavoura mais homogênea, o que facilita a realização do corte na colheita. Além disso, as brotações da soqueira também ficam mais perfilhadas, o que melhora a qualidade da plantação.

            O uso de reguladores que evitam o florescimento é considerado uma das técnicas mais simples no manejo desta variável no campo.

            Impulse é o regulador de crescimento da Nufarm.É indicado para inibir o florescimento, isoporização e chochamentoda cana-de-açúcar, assim evitando que ocorram os problemas mencionados acima e possibilitando uma lavouracom muito mais vigor produtivo.

Referências bibliográficas:

ARALDI, R.; SILVA, F. M. L.; ONO, E. O.; RODRIGUES, J. D.  Florescimento em cana-de-açúcar. Ciência Rural, Santa Maria-RS. v. 40, n. 3, p. 694-702, 2010.

 

BERDING, N. Poor and variable flowering in tropical sugarcane improvement programs: diagnosis and resolution of a major breeding impediment. ProceedingsInternational Society Sugar CaneTechnologists, v. 25, p. 493-503, 2005.

 

CASTRO, P.R.C. Fisiologia vegetal aplicada à cana-de-açúcar, Maceió-AL, p.7, 2001.